WordPress

O WordPress foi criado em 2003 por Matt Mullenweg em PHP, baseado no projeto b2, de Michel Valdrigh. Hoje, colaboram no núcleo do programa Ryan Boren, Donncha O Caoimh, além de uma legião de entusiastas. WordPress é fácil de instalar e de usar, Sua curva de aprendizado com o tempo é altíssima, possibilitando ao neófito criar conteúdos de modo muito rápido e profissional. O backend do WordPress baseia-se no banco de dados MySQL.

Recomendações

O usuário do WordPress deve ter em mente que o importante é o conteúdo e não a forma de seus dados. A qualquer momento o jeito como seu site se comporta na exibição e na edição pode mudar, devido a uma atualização de versão (que você precisa realmente para corrigir falhas). O administrador do site precisará atualizar a versão do PHP, por exemplo, ou será obrigado a usar o novo (em junho/2020) editor Gutenberg; enfim, usar o WordPress gratuito não nos livra de constante atualização e adaptação.

Existe a opção de usar os serviços pagos de WordPress.com. Ali, as atualizações são feitas automaticamente pela equipe da Automatic, mas se você quiser instalar plugins (e vai precisar) terá de assinar a versão corporativa do serviço, a um custo aproximado de US$ 120,00 por mês.

É aconselhável que o administrador de um site WordPress conheça bem a linguagem HTML. O usuário comum do site não precisa, mas em vários momentos (inclusive na mudança de versão) o administrador precisará usar o HTML para obter o que o usuário precisa.

Eu recomendo especialmente o vídeo abaixo (WordPress Tutorial for Beginners), que explica como criar um site a partir do zero num provedor, com domínio incluído. O vídeo é interessante porque os exemplos usam sempre o editor tradicional do WordPress e não o desagradável e imprevisível editor Gutemberg. Apesar de estar em inglês, quem não dominar a língua só precisa acompanhar as imagens, que são auto-explicativas.

Preciso lembrar a você que o editor tradicional é um plugin, que pode ser baixado e instalado (Thank God !).

Editor tradicional do WordPress.

E agora a recomendação final: Faça Backup. Para quem instalou o WordPress em hosting, baixe e instale o plugin BackupGuard. Para quem usa a versão comercial em WordPress.com, resta a opção de exportar o conteúdo e a mídia. E exportação de conteúdo é feita em arquivos ZIP e a da mídia em arquivos TAR. Portanto certifique-se de ter o Winzip instalado em seu Windows, se for o caso. Para usuários Unix / Linux, o TAR é um tipo de arquivo bem conhecido e não oferece problemas.